quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Afinação padrão


  Para afinar sua guitarra, você somente precisa ter uma das cordas afinadas, desde que você saiba qual é. Esta corda é conhecida como ponto de referência. Uma vez que se tenha uma corda afinada, afinar o resto é fácil. Existem várias maneiras de se encontrar o ponto de referência. Você pode seguir os seguintes métodos para afinar uma corda, ou todas as cordas.

Piano/Teclado: O teclado é uma excelente maneira de afinar a sua guitarra. Apenas afine as cordas, batendo com o som do teclado nas respectivas teclas.

Afinador Eletrônico: Permite que se afine a guitarra medindo a frequência da cada. Maneira muito fácil de afinar a guitarra.

Diapasão de Apito: O afinador tem 6 apitos,um para cada corda da guitarra. Apenas afine a corda com o respectivo som do apito.

Diapasão de Garfo: Quando o afinador é percutido, ele emite a nota A na frequência de 440 hz. Simplesmente afine a nota na casa 5 com o diapasão.

Siga as instruções abaixo para afinar a sua guitarra, tendo a corda já afinada em E.

Passo 1: Coloque o seu dedo na casa 5 da sexta corda e afine a quinta corda até os sons ficarem iguais na altura.

Passo 2: Coloque o seu dedo na casa 5 da quinta corda e afine a corda 4 até os sons ficarem iguais na altura.

Passo 3: Coloque o seu dedo na casa 5 da corda 4 e afine a corda 3 até os sons ficarem iguais na altura.

Passo 4: Coloque o seu dedo na casa 4 da corda 4 e afine a terceira corda até os sons baterem.

Passo 5: Coloque o seu dedo na casa 5 da corda 2 e afine a primeira, até os sons baterem. Ficará assim:
.

E ----------------------------------------0------------ 1
B -----------------------------0-------5--------------- 2
G ------------------0-------4-------------------------- 3
D -------0------5-------------------------------------- 4
A-----0------5----------------------------------------- 5
E------5------------------------------------------- --- 6


 Se você entendeu isso, você poderá afinar a sua guitarra a partir de qualquer ponto de referência. É sempre bom afinar a guitarra antes de começar a tocar. Ela fica desafinada muito fácil. Agora que você sabe como afinar a guitarra, poderemos estudar algumas afinações alternativas.

Afinações alternativas

 

  Talvez você tenha ouvido sobre guitarristas que afinam a guitarra 1/2 ou 1 tom abaixo. Eles têm alguns motivos para fazer isso. Principalmente pelo som, mas, também devido ao cantores que não querem se esforçar mais que o necessário tentando cantar mais alto que as guitarras.Afinando sua guitarra 1/2 ou 1 tom abaixo é fácil desde que você saiba como afinar a sua guitarra de ouvido. Se você quer a sua guitarra afinada 1/2 tom abaixo, as cordas soltas soarão conforme o diagrama abaixo:

Eb ----------------------------------
Bb ----------------------------------
Gb ----------------------------------
Db ----------------------------------
Ab ----------------------------------
Eb ----------------------------------

  Todas as cordas foram abaixadas pelo bemol (bemolizadas). Apenas afine a sua guitarra no modo padrão e então afine a corda E na casa 6 até que ela fique igual a corda 5 (A), então siga os passos listados no início desta lição. Uma maneira fácil de encontrar seu ponto de referência para isso é esta: Descubra o que você quer que a corda solta seja. Se você está afinando um tom inteiro abaixo, então a corda E deverá ser afinada como D. Se a corda E já está afinada como D, então conte as casas até encontrar o A.

DII-----E--F------G------A------B--C------D------E--F-

  Neste caso ele será encontrado na casa 7. Afine a casa 7 batendo com a corda 5 solta. A corda E deverá estar afinada como D solto. Agora siga afinando as outras cordas usando esta como referência. ..
 Abaixo estão outras afinações alternativas que você pode experimentar. Veja se você consegue afinar a guitarra sem usar um afinador eletrônico. Assim que você conhecer a escala da guitarra, você perceberá que afinar é fácil. A melhor maneira de se treinar o ouvido é experimentando tocar com diferentes afinações.

E,B,G,D,A,E (Standard) 

D,B,G,B,G,D

D,A,Fs,D,A,D

D,A,G,D,A,D

D,C,G,D,G,B

D,B,G,D,A,E

E,Cs,A,Cs,A,E

D,B,G,D,B,G

E,C,G,C,G,C

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

Os primeiros amplificadores

  Os primeiros amplificadores surgiram nos anos 30, usando válvulas de rádio e a tecnologia hi-fi da época. Conforme a guitarra elétrica foi se tornando popular, nos anos 50, surgiram os primeiros amplificadores especiais para esse instrumento, cujos modelos em geral combinavam um amplificador valvulado com um ou dois alto-falantes de 30 cm (12 polegadas). No final dos anos 60, a moda eram os amplificadores de elevada potência, com sistemas de grandes caixas de som independentes. Nos anos 70 surgiu a tecnologia solid-state, mais barata, com os transistores substituindo as válvulas. Os amplificadores valvulados, contudo, são os preferidos de muitos guitarristas profissionais.


Uma das guitarras mais usadas no mundo

 

  O som elétrico chamou a atenção do público no inicio da década de 1940, em parte graças aos músicos de jazz que usavam guitarras semi acústicas de tampo abaulado para produzir um som envolvente, amplificado e fechado, que poderia manter-se contra o metal e a percussão das “big bands”. Mas não foi antes dos anos de 1950 que as guitarras elétricas sólidas ganharam proeminência com o lançamento de dois instrumentos de referência através de Leo Fender, um talentoso e experiente engenheiro. Com um único cutaway e um único captador na ponte, o modelo Esquire de Fender tinha um timbre agudo vigoroso que se adequava ao country a ao rock and roll primitivo.  Leo Fender também criou uma versão mais sofisticada com o mesmo formato de corpo, porém com um captador também no braço. Originalmente chamada de Broadcaster , foi renomeada para Telecaster em 1951, e assim, nascia um dos mais versáteis e duradouros modelos de guitarras.


  A Fender Telecaster apesar de ser um dos modelos mais antigos de guitarra, ainda é um dos instrumentos mais usados no mundo. Conhecida por seu tom brilhante, grande sustentação, design robusto e praticidade, a “tele” é particularmente adorada pelos músicos country pela clareza o som, similar a de um sino.

Captador na ponte

  O captador inclinado na ponte da Telecaster é conhecido por seu timbre agudo e metálico.

Principais atributos.

  • Clareza de som
  • Excelente tocabilidade
  • Excelente instrumento de trabalho
  • Um ícone do design do século XX 


Curso de Violão Popular

  Tudo que você precisa saber para tocar violão de modo rápido e sem complicações está nesse curso. Você pratica no instrumento  com o professor, em 57 aulas gravadas, vídeos de exercícios e lições passo a passo.

Acesse o link e saiba mais: 

https://tinyurl.com/r9nk2p6v


quarta-feira, 25 de agosto de 2021

Aprenda fazer palhetas

Passos

Encontre um pedaço de plástico que queira reciclar em um objeto útil.


Usando um marcador, trace o contorno de uma palheta no plástico.


Usando um cortador afiado (uma boa tesoura ou uma faca), 
corte a nova palheta no formato marcado.


Usando uma lixa de unha ou em folha, alise as bordas da palheta.

    Dicas

    Algumas fontes boas de plástico:

    • Cartões de clube, hotéis
    • Cartões de desconto
    • Cartões de presente
    • Cartões de crédito ou de banco velhos
    • Fundo de recipiente de margarina ou manteiga

    Materiais necessários:

    • Uma palheta de guitarra, para marcar o contorno.
    • Um marcador. A ponta da faca ou tesoura pode ser usada para tal, se você tiver a coordenação para fazer isto sem se ferir.
    • Faca ou tesoura
    • Uma fonte de plástico 



    Anatomia da guitarra

     

      Comparando com um violão feito à mão, a guitarra é um instrumento relativamente simples. Como o violão, ela tem o braço de madeira, mas seu corpo geralmente é sólido ao invés de oco, e tipicamente feito de madeira de lei rígida e durável, apesar de alguns instrumentos apresentarem metais ou plástico. O som produzido pelas melhores guitarras elétricas podem ser tão complexo e matizado quando o dos instrumentos acústicos.


     Como funciona – Resumo

       Sem o corpo ressonante oco, uma guitarra de corpo sólido não consegue produzir um som claramente audível. Porém, um ou mais “pickups”, também conhecidos como “captadores”, são montados na superfície superior do corpo, entre a escala e a ponte. Um sinal elétrico é gerado pelos captadores quando as cordas da guitarra vibram; esta corrente é levada por toda a guitarra através do amplificador, que a transforma em um som audível. As unidades de efeito que modificam o som, como os pedais fuzz e wah-wah, podem ser posicionadas entre a guitarra e o amplificador ou o amplificador pode incorporar uma variedade de efeitos que possam ser controlados através de um pedal. 


    Captadores

       Um captador é uma imã envolto por uma bobina de fio de cobre. Quando as cordas se movimentam, o campo magnético é alterado, induzindo voltagem elétrica na bobina de cobre. Os designs antigos dos captadores de single coil possuíam um som claro e limpo, mas geravam um barulho indesejado ou um “zumbido” quando colocados perto de outros dispositivos elétricos. Na metade dos anos 1950, Seth Lover, engenheiro da Gibson, desenvolveu uma configuração de captadores que eliminava este efeito e a chamou “humbucker”.


    quarta-feira, 18 de agosto de 2021

    Prendendo as notas

     

       Adquirir hábitos corretos ao apertar as cordas contra os trastes é importante. Ao prender uma nota, a ponta do dedo deve ficar logo atrás ou depois do traste. Se você apertar distante dele, a corda deverá trastejar, isto é, emitir zumbidos ou ruídos, se apertá-la bem sobre o traste, a corda soará abafada. É comum em iniciantes na prática de violão ou guitarra, silenciar sem querer outras cordas além das que se prendem. Isso é evitado mantendo os dedos na posição mais vertical possível.

    Classificação dos intervalos

     

      Chama-se intervalo a diferença em altura entre duas notas musicais. O intervalo é o mesmo tanto quando as notas soam juntas (intervalo harmônico) como quando soam uma após outra (intervalo melódico). Os intervalos no caso de duas notas com a mesma altura são chamados de uníssonos. No caso de duas notas com uma oitava de distancia são chamados de oitavas. Os intervalos podem ser identificados por sua posição na escala diatônica. O mais fundamental de todos os intervalos é o de oitava; ele determina a primeira e a ultima nota da escala.

      Todos os outros intervalos são então, nomeados de acordo com sua distancia da primeira nota da escala. São chamados então, de segundas, terças, quartas, quintas, sextas e sétimas.  Esse sistema cobre as oito notas da escala maior diatônica (incluindo a oitava). A oitava é dividida em doze semitons produzindo treze notas diferentes incluindo a oitava. Há um sistema que define cada intervalo como sendo justo, maior, menor, aumentado e diminuto.

      Entre os intervalos diatônicos o termo justo aplica-se á quarta, á quinta e a oitava. Os intervalos de segunda, terça, sexta e sétima podem ser tanto maiores como menores. O intervalo formado entre a tônica e a nota situada entre a quarta e a quinta pode ser chamado tanto de quarta aumentada como de quinta diminuta.


    CLASSIFICAÇÃO DOS INTERVALOS

    Os intervalos são assim classificados:

    Quando abaixado em um semitom (1 casa), um intervalo maior torna-se menor.

    Quando elevado em um semitom (1 casa), um intervalo menor torna-se maior.

    Quando elevado em um semitom (1 casa), um intervalo maior torna-se aumentado.

    Quando abaixado em um semitom (1 casa), um intervalo menor torna-se diminuto.

    Quando elevado em um semitom (1 casa), um intervalo justo torna-se aumentado.

    Quando abaixado em um semitom (1 casa), um intervalo justo torna-se diminuto.


    terça-feira, 17 de agosto de 2021

    Cordas que quebram

     

    Excesso de tensão. Cordas de guitarra são projetadas para serem afinadas em uma altura padrão que é a afinação feita pelo diapasão. Elas resistem a uma afinação apenas um pouco superior sem se partir ou prejudicar o braço do instrumento.

    Desgaste natural. Quanto mais velha uma corda, maior a possibilidade dela se partir. A perda de elasticidade, o desgaste, a ferrugem causada pelo suor dos dedos enfraquecem as cordas de aço.

    O peso da mão direita. Muitas vezes as cordas se partem, devido a técnicas pesadas da mão direita. Instrumentistas de ritmo, especialmente os que têm toque pesado, arrebentam cordas com freqüência.

    Dobra na corda.  Uma dobra na corda pode causar um ponto fraco. Ao instalar cordas de aço é preciso ter cuidado para não dobrá-las.


    Limpando o violão

     

      O tipo mais simples e eficiente de fazer a manutenção de um violão é a limpeza. O indicado é limpar o violão sempre que ele for utilizado, caso isso não seja possível o violão deve ser limpo sempre que começar a ficar sujo, isso facilita muito a limpeza e pode diminuir bastante o tempo necessário para deixar um violão limpo e manter o acabamento sempre brilhante como novo.

      Os violões são instrumentos musicais construídos a partir de peças finas de madeira. Apesar de na maioria dos casos serem bem construídos e projetados, os violões não são feitos para suportar umidade e mudanças grandes de temperatura. Para conservar o violão por muito tempo o ideal é não utilizar produtos de limpeza que sejam abrasivos e também objetos de limpeza que sejam ásperos.

      Antes de utilizar o violão você pode lavar as mãos, depois de utilizá-lo limpe as suas cordas utilizando um pano limpo e seco, pois isso ajuda a preservar as cordas por mais tempo e remove o excesso de oleosidade. Veja logo abaixo como fazer para limpar um violão corretamente.

      Umedeça um pano limpo, macio e que não solte fiapos com água.
      Aperte o pano até que ele fique ligeiramente umedecido.
      Limpe a superfície do violão para remover toda a poeira, impressões digitais, e outros tipos de sujidades.
      Logo em seguida passe um pano seco, limpo, macio e que não solte fiapos para retirar qualquer resquício de umidade sobre o violão.
      Evite deixar o seu violão a exposição da luz solar por um longo período de tempo, sempre que possível evite a umidade e mudanças repentinas de temperatura.

      Procure seguir as dicas de limpeza que são recomendadas pelo fabricante do violão, você também tem a opção de consultar a opinião de um especialista.      Existem produtos no mercado que são específicos para a limpeza de instrumentos musicais, incluindo o violão.


    O instrumento acústico e o elétrico

     

       A guitarra elétrica é bem diferente de um violão ou guitarra acústica. Com uma variedade mais ampla de sons possíveis, ela é muito mais versátil. Contudo passar de um instrumento a outro não será muito difícil. Os maiores problemas são físicos. Por exemplo, a guitarra elétrica pode ser muito pesada e desconfortável para os ombros e pescoço.
       Embora os dois tipos de instrumento tenham tamanhos aproximados, a largura da escala da guitarra é bem mais estreita: as cordas ficam mais próximas. Se você está habituado a apertar as cordas de um violão, será necessário unir mais os dedos na guitarra. A menos que tenha as mãos muito grandes, todavia, logo se acostumará com a adaptação. 

    Dica musical

     

       O que muitos músicos não sabem é que os melhores guitarristas do mundo praticam seus exercícios de velocidade em um violão comum, acústicosem amplificadores. Isso porque o peso das cordas é perfeito para um rápido desenvolvimento muscular dos dedos. Em uma guitarra elétrica, por causa das cordas macias e da amplificação, leva-se mais tempo até se atingir o mesmo progresso. Porque os músculos não são forçados, não se exercitam e não se desenvolvem tão bem.

    segunda-feira, 16 de agosto de 2021

    Cursos na medida certa para o seu talento!

     

      A ArtMaia Ensino Musical está de cara nova! Para comemorar a marca de 32 mil alunos cadastrados em nossos cursos, estamos lançando a nova versão 2021 da nossa loja. Produtos físicos e digitais, promoções, super descontos e frete grátis!

    Acesse: https://www.artmaiashop.com/

    Na medida certa para o seu talento!

    Um pouco sobre violões

     

       Os violões de hoje descendem dos pequenos instrumentos com cordas de tripas, construídos na Europa no século XIX.  Neste meio tempo, houve alguns saltos evolutivos. Em 1918, a empresa de guitarras Martin, nos EUA, desenvolveu um novo modelo, chamado Dreadnought, que foi pioneiro no formato de grande porte com ombros mais quadrados que continua até hoje. Enquanto isso, alguns fabricantes simplesmente aumentaram o formato ampulheta dos modelos antigos para aumentar assim o volume.


      O Super Jumbo 200 da Gibson, como o usado por Elvis Presley, é um exemplo clássico. Os violões Archtop (fundo abaulado) conseguiram melhor sonoridade com seus topos convexos e sua construção revisada, enquanto os violões ressoadores usaram partes metálicas para obter o mesmo efeito. Hoje, muitos violões apresentam captadores acoplados, o que significa que eles podem ser mais facilmente ouvidos por um número maior de pessoas.